Entre para este grupo!

segunda-feira, 29 de junho de 2009

As Várias Faces da Opressão

traz à cena o Teatro do Oprimido, debatendo bullying, comercio de drogas e loucura.
Teatro-Fórum é um espetáculo baseado em fatos reais, onde personagens, oprimidos e opressores, entram em conflito, de forma clara e objetiva, na defesa de seus desejos e interesses. No confronto, o oprimido fracassa e o público é convidado (pelo facilitador da encenação) a entrar em cena e substituir o protagonista, em busca de alternativas para a solução do problema. É um jogo artístico e intelectual entre artistas e espectadores. O Núcleo de Estudos do Teatro do Oprimido de Porto Alegre apresenta o espetáculo As Várias Faces da Opressão dentro do evento Obrigado, Boal, organizado pela Coordenação de Artes Cênicas.

A sessão acontece no dia 02 de Julho (quinta-feira), às 19 h, na Sala Álvaro Moreyra do Centro Municipal de Cultura de Porto Alegre, com entrada franca. A distribuição de senhas tem início às 18:30h. A montagem é resultado da Oficina de Teatro - Fórum, para Atores e Não Atores, baseada no método do Teatro do Oprimido, criado pelo teatrólogo Augusto Boal. O espetáculo é formado por três esquetes que abordam temas como violência escolar, loucura e comércio de drogas. Celso Veluza coordena o elenco formado por atores e atrizes com diferentes formações profissionais e, conseqüentemente, diferentes visões de mundo. Tem funcionário público, médico, antropólogo, jornalista, diarista, educadora social, vendedora, psicóloga, atores e atrizes.


sexta-feira, 26 de junho de 2009

Curso de Formação em ARTETERAPIA, NO CONTEXTO SOCIAL E INSTITUCIONAL.


Instituto da Família de Porto Alegre (INFAPA)
em parceria com
Professores do Depto. de Arteterapia do Instituto Sedes Sapientiae- SP
promovem a quinta turma do
Curso de Formação
em ARTETERAPIA, NO CONTEXTO SOCIAL E INSTITUCIONAL.
(conforme os parâmetros da UBAAT-União Brasileira de associações de Arteterapia)

DESTINADO A: Psicólogos, psiquiatras, psicopedagogos, arte-educadores e profissionais com formação universitária que atuem na área de relação de ajuda. (Alunos serão aceitos no último ano de formação)

Gostaríamos de saber sobre seu interesse em começar conosco o curso no segundo semestre de 2009.
Favor comunicar-se pelo telefone ou confirmar por e-mail.
VALOR DO INVESTIMENTO: $R 350,00 mensais

***************
SELEÇÃO DE ALUNOS
Entregar currículo, cópia de certificado de conclusão de graduação (ou atestado de curso no último ano de formação) e carta de intenções.
Entrevista com inscrição prévia. Pelo telefone: 9251-4121.Valor: $R 70,00.

O curso oferece :

.. módulo mensal de 15 horas, um final de semana de cada mês.
.. materiais plásticos básicos.
.. encontro intercalado de 3 horas mensais, (dia a combinar)
.. reuniões clinicas uma vez por mês (primeira terça feira de cada mês)
.. biblioteca especializada.
.. supervisão de estágio com profissionais especializados,
.. orientação de trabalho de conclusão,

INFORMAÇÕES:
Instituto da Família: (51) 3330-0353
João Abbot, 441 conj. 501/90460-150
Porto Alegre
Angélica Shigihara de Lima
51-92514121

terça-feira, 23 de junho de 2009

A revista dos cuidadores Ano I - nº4

EDITORIAL
Qual é o tempo que um cuidador reserva para si? O que o impede de cuidar-se? O ócio é fundamental.
Confira a vida de uma avó que cedeu parte de seu território à neta.
Compartilhar a criatividade e a imaginação são vivências inesquecíveis.
Temos por meta apoiar os cuidadores sem discriminar raça, cor, sexo, condição social ou religião.
Descobrimos que os homoafetivos são parte das minorias que não têm o pleno direito de cuidar.
Para dar apoio a esses cuidadores, que lutam também contra o preconceito, buscamos um artigo de uma especialista.

A questão da drogadição vem através do relato de uma mãe, que como uma leoa salvou seu filho.
Surpreendente é a fala desta cuidadora: o perigo não estava só nas drogas!
Aqui, você encontrará os pais de meninos que jogam futebol.
Ao projetar seus sonhos nos seus filhos, para qual futuro os preparam?
O trabalho de uma fundação no acolhimento a pais em luto e
a importância de novos amigos quando o mundo parece desabar.
A elegância do cuidar? Como se sente um cuidador ao falar de seu sentimento de exaustão?
Os pequenos também são capazes de acolher.
A mitologia na Arteterapia como fios de Ariadne a conduzir para fora de labirintos.
A revista vem percorrendo escolas, hospitais, universidades, bibliotecas, instituições, salas de espera,
consultórios, casas geriátricas, pensões protegidas, clínicas, casas de família e muitos outros lugares de cuidar.
Divulgue na CUIDADORES DE VOCÊ! Alguém pode estar lhe procurando!
Boa leitura!
Abraços,
*SUMÁRIO
A fala dos Cuidadores
Meninos do Futebol - Ângela Maria de Moraes
Minorias: O Direito de Cuidar - Maria Berenice Dias
Minha Pequena Cuidadora - Terezinha Becker
A Elegância do Cuidar - Luiza Lage
Deméter e Perséfone - Informe OC
Arquétipos como Fonte Cuidadora - Beatriz Abelleira (Argentina)
Pão da Panela de Pressão - Fernando Neubarth
Pais em Luto, Pais que Acolhem - Voluntárias da Fundação Thiago Gonzaga
O Ócio: Essencial no Autocuidado - Rosane Arostegui de Azevedo
Receita - Deise Beier
Cuidadores de você!
*
SOLICITE A SUA ASSINATURA AQUI!
*
Divulgue seu trabalho de cuidador!

terça-feira, 16 de junho de 2009

"Vitrine de Opções" (repassando o convite)

1º Brechó da Associação Gaúcha de Terapia Familiar.

"Vitrine de Opções"

Apoio: CEFI - CLIP - CAIF - DOMUS - INFAPA

Objetivo : Angariar recursos para dar andamento aos novos Projetos Sociais da AGATEF.

Como participar: Convidamos a família de terapeutas filiados a AGATEF e sintonizados com a idéia de desenvolvimento de novos Projetos Sociais, a doarem peças de vestuário masculino, feminino ou infantil, em perfeito estado de uso e que já não façam parte de suas atuais preferências, para que a nossa Associação possa comercializá-las no 1º Brechó - "Vitrine de Opções" - que será realizado nos dias 19 e 20 de junho, durante o evento A Terapia Familiar como Instrumento de Ações Sociais.

Onde as roupas devem ser entregues? Na AGATEF, até o dia 18 de junho, quinta-feira, à rua Cristóvão Colombo, 1773, sala 403. Telefone: (51)3395-5222. Se o associado preferir, também pode deixar o material a ser doado, nas Instituições vinculadas a AGATEF que apoiam o evento.

Como serão comercializadas? Por preços muito acessíveis, para que nós mesmos, terapeutas familiares, possamos adquiri-las. Os associados serão informados futuramente sobre o destino que será dado aos valores arrecadados.

Podem ser enviados outros objetos? Sim. Bolsas, bijuterias ou acessórios serão bem vindos.

O terapeuta receberá algum retorno financeiro pela entrega das roupas e/ou outros objetos? Não, somente estará participando, desta forma, para a criação de um fundo de auxílio, que terá como objetivo ajudar as inúmeras famílias que vivem em situações de precariedade e carência.

A sua presença é fundamental para o sucesso do evento!

A AGATEF antecipadamente agradece a adesão de todos, neste empreendimento.

Atenciosamente,

Adriana Zanonato p/ Diretoria da AGATEF

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Música e terapia!

Olhem o que eu recebi da Grazzi:
"A música é a arte e ciência de combinar harmoniosamente os sons ou qualquer composição musical. Essa é a definição do dicionário. Na terapia, ela assume um sentido diferente. Resume-se em tratamento. A musicoterapia define-se como o tratamento de patologias através da música. Assim, ritmo, melodia e harmonia são criteriosamente aplicados no auxílio da integração física, psicológica e emocional do indivíduo. Valem desde músicas já cria
das até sons desenvolvidos pelos terapeutas ou pelos próprios pacientes.
A Arte educadora e especialista em Arteterapia e Terapia Musical Holística Grazziela Tomasi explica o trabalho destes profissionais na recuperação de pessoas. "É um processo para facilitar e promover a comunicação, o relacionamento, a aprendizagem e a organização física, emocional e social do paciente", explica. "O objetivo não é a obra final, e sim a formação contínua, o processo de construção", complementa.
A profissional ut
iliza diversos instrumentos nos seus atendimentos, como teclado, piano, flauta e percussão, valendo-se, ainda, da música clássica. Grazziela ressalta a importância das canções no acolhimento dos pacientes: "as melodias ajudam a pessoa se conhecer melhor", além de desenvolver potenciais ou recuperar funções", destaca. O resultado é uma melhor integração nos níveis intra e interpessoal e, conseqüentemente, maior qualidade de vida. "O fazer de novo é muito importante", coloca. "Por outro lado, a ansiedade é o que mais atrapalha o paciente, juntamente com o medo e o receio", acrescenta. O ritmo e o tempo têm que estar sincronizados, permitindo uma grande concentração.
Graziela atende públicos de todas as idades, constituindo também grupos especiais de trabalho com crianças, terceira idade ou por temas. Não é necessário ter prévios conhecimentos de música, pois o conhecimento é transmitido aos poucos pelos profissionais, de acordo com as necessidades do paciente. Os mais iniciados são estimulados a compor, pesquisar timbres e também a escrever partituras. Outras pessoas preferem utilizar a música para aprimorar a expressão corporal e ritmo. A profissional revela ainda trabalhar a ligação dos instrumentos com os quatro elementos, Assim, ar corresponde aos instrumentos de sopro. O elemento terra está ligado à percussão, assim como a água ao carrilhão e alguns sons sintetizados. Já o elemento fogo é alcançado através de sons explosivos, intermediados com pausas abruptas.
A arteterapia é considerada um trabalho novo. Pode ser desenvolvida não apenas em consultórios, mas também em escolas e hospitais. O terapeuta musical não faz diagnósticos, concentrando-se na cura. Também não é necessário possuir uma patologia, pois a música estimula a percepção, o auto-conhecimento e o equilíbrio, não existindo contra-indicações. Para Grazziela, é importante deixar claro que a música não é um curativo eficaz em si mesmo, pois seus efeitos terapêuticos resultam de uma aplicação profissional durante todo o processo terapêutico, cuja duração dependerá de cada pessoa.

(Entrevista feita pelo Procempa em 2007)

sábado, 13 de junho de 2009

Encontro marcado com a Marihê!

Esta semana a Marihê estará nos presenteando com mais uma expoxição do seu trabalho como pintora. Se você quiser conhecer a produção artística desta grande Arteterapeuta e encontrar os amigos e amigas dela, não deixe de comparecer a vernissage dia 17.06.2009 às 18 h no TRT4 na Av Praia de Belas em frente ao Shopping. Parabéns antecipado amiga!!!

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Experiencias y enfoques terapéuticos de Talleres Artísticos en los procesos de rehabilitación


Destinatarios: Profesionales de la salud, la educación y la cultura.

Hace siete años que estamos trabajando transversalmente entre la Secretaría de Salud y la Secretaría de Cultura, Deportes y Turismo a través de la Dirección General de Discapacidad y la Dirección de Cultura, desde todas las disciplinas artísticas apoyando los procesos de rehabilitación e integración de las personas que por distintas patologías llegan a nuestros institutos, fomentando la participación en eventos artísticos, realizando muestras, participando en concursos y presentándonos en congresos, seminarios y encuentros, que traten la problemática de integración del discapacitado.

A partir de esta experiencia y ante la ausencia de un foro en donde, los artistas, docentes, especialistas, profesionales de la salud, trabajadores sociales, instituciones, etc., podamos reflexionar sobre la importancia de las actividades artísticas en los procesos de rehabilitación e integración.

Actividad no arancelada - Vacantes Limitadas

Presentacion de trabajos libres: hasta el 21 de junio de 2009

Coordinador General del Evento:

Prof. Daniel Gerbiño: dager@arnet.com.arimrvl@yahoo.com.ar

Informes e inscripción:
Instituto Municipal de Rehabilitación de Vicente López

Avda. Maipú 3075 – Olivos – Buenos Aires – Argentina

Tel/Fax: (54-11) 4513-9869/68/9820


terça-feira, 2 de junho de 2009

Vamos ao Teatro!!!

Trabalho originado na disciplina de Atuação II sob orientação de CRISTIANE WERLANG, GISELA HABEYCHE e CARMEM LENORA. Com fragmentos das peças “Vestido de Noiva”, “O Beijo no asfalto” e “Dorotéia”, de Nelson Rodrigues. Na criação deste trabalho foram experimentadas diferentes linguagens para retratar o universo rodrigueano.

De 03 a 24 de JUNHO
Sempre às Quartas-feiras – 12h30min e 19h30min
Sala QORPO SANTO
Campus Central UFRGS/ Av. Paulo Gama s/n
ENTRADA FRANCA