Entre para este grupo!

domingo, 8 de junho de 2008

Encontro da Arteterapia com a Visão Sub-Normal

Quando óculos ou lentes de contato não podem proporcionar visão adequada dizemos que esta pessoa possui visão sub-normal. Essa condição pode facilmente ser confundida com cegueira, principalmente em crianças com menos de 5 anos de vida. Pessoas com visão sub-normal ainda têm visão útil a qual pode ser melhorada com recursos ópticos especiais. Além disso agora existe uma metodologia de extimulação e habilitação visual que pode ser desenvolvida a partir de um mês de vida.
A deficiência visual pode ser menor ou maior dependendo da patologia ou lesão ocular de cada indivíduo. A melhora visual com recursos ópticos especiais é geralmente alcançada após seu oftalmologista ter completado o tratamento clínico ou cirúrgico ou determinado que estes procedimentos não serão suficientes para a melhora da visão. Os técnicos em estimulação e habilitação visual entram em cena quando esta patologia ou dificuldade visual é detectada a fim de desenvolver e otimizar esta visão residual e treinar a utilização de recursos ópticos receitados pelo oftalmologista.
Embora o mais comum seja a redução da visão central, a visão sub-normal pode também ser conseqüência de diminuição da visão periférica, ou da diminuição da visão para cores da incapacidade para definição adequada de luz, contraste ou foco. Diferentes tipos de visão sub-normal podem exigir diferentes tipos de assistência.
Por exemplo, pessoas que nascem com visão sub-normal têm diferentes necessidades daquelas que apresentam o problema com o decorrer da vida, para estas a estimulação por um técnico é imprescindível para desenvolver toda a funcionalidade possível com esta visão. Lembramos que a s funções visuais se desenvolvem desde o nascimento até por volta dos 5 anos.
Embora a maior incidência seja em idosos, pessoas de todas as idades podem ser acometidas. A visão sub-normal pode ocorrer por causa congênita, doenças hereditárias, traumas, diabetes, glaucoma, catarata e doenças relacionadas a idade. A causa mais comum é a degeneração macular do idoso. Para estes podemos auxiliar na adaptação de auxílios ópticos adequados aos seus interesses funcionais como: atividades cotidianas e ou lazer.
Como venho do Bacharelado em Artes e da Arteterapia, busco estimular estas pessoas através de muitos recursos criativos de sensibilização visual. Tinta, desenho, recorte, leitura, visitas a exposições, estimulação dos bebês com brinquedos, imagens e histórias; tudo conforme a idade e a necessidade do paciente. A base deste trabalho nasce do encontro da Arteterapia com os ensinamentos derivados das técnicas de Natalie Barraga da Universidade do Texas em Austin, criadora desta metodologia.

Nenhum comentário: